Empinando Fotografias


Reprodução do artigo sobre Fotografia Aérea com Pipa publicado originalmente na Multiangular em 04/02/2007.


 

No mundo todo, enquanto milhões de pessoas fazem fotografia, outros milhões se divertem soltando pipas. Pode parecer estranho, mas algumas combinam as duas atividades, fazendo fotos aéreas com pipa.

Erosão colorida: Vista aérea de Praia das Fontes, em Beberibe, CE.Erosão colorida: Vista aérea de Praia das Fontes, em Beberibe, CE.Voar é certamente o sonho de muitas pessoas. O objetivo da fotografia aérea com pipa (FAP ou KAP, do inglês Kite Aerial Photography) é o que não seria possível de outra forma: obter uma visão privilegiada, como a dos pássaros, de modo seguro e sem tirar os pés do chão.

Mesmo que você nunca tenha ouvido falar em FAP, ela não é novidade. A primeira fotografia aérea é atribuída ao francês Félix Nadar (pseudônimo de Gaspard-Félix Tournachon), que de um balão fotografou a cidade de Bievre (França), em 1858. Arthur Batut, trinta anos depois, fez a primeira FAP sobre Labruguiere, também na França.

Inicialmente a FAP atraiu o interesse de militares e cartógrafos, mas hoje a maioria dos FAPers (ou KAPers) praticam a FAP por hobby. Quase todos compartilham o mesmo histórico: um dia descobrem como prender uma câmera simples e barata (antigamente de filme) à linha de uma pipa, assim como Pipa profissionalPipa profissionalfazer seu disparo automaticamente, por meio de um intervalômetro rudimentar. Após soltar a pipa, fazer algumas fotos e aguardar ansiosamente a revelação do filme, vem a recompensa: um rolo inteiro de fotos borradas e sem enquadramento! Mas com persistência e algum tempo, isso melhora...

A FAP é tanto divertida quanto um desafio, oferecendo muitos problemas a serem resolvidos pelo FAPer. A maior parte dos equipamentos costuma ser fabricada (ou pelo menos montada) pelo próprio usuário, exigindo habilidades em diversas áreas, desde fotografia até costura (caso o FAPer queira ainda fabricar sua própria pipa). No exterior existem kits prontos para iniciantes, incluindo até mesmo uma câmera descartável, mas quem leva a FAP a sério, cedo ou tarde acaba "pondo a mão na massa".

Os requisitos básicos para praticar FAP são:Encontro de marés: Vista aérea de Porto das Dunas, Aquiraz, CE.Encontro de marés: Vista aérea de Porto das Dunas, Aquiraz, CE.

  • pipas grandes, especiais para FAP
  • câmera fotográfica (quanto menor e mais leve, melhor)
  • "berço" para prender a câmera à linha da pipa
  • vento
  • espírito de aventura

Na lista acima, note o plural em "pipas". Não existe uma única pipa "ideal" para FAP, pois há uma pipa adequada para cada velocidade de vento. Existem pipas para ventos fracos, médios e fortes, de diferentes tamanhos e formatos. E se o equipamento do FAPer incluir controle remoto por rádio, câmera SLR, retorno de vídeo ou outras "geringonças", para levantar todo o peso desse equipamento é preciso uma pipa com área de superfície proporcionalmente maior.

As câmeras digitais compactas são ótimas para FAP devido ao peso e tamanho reduzidos, além de oferecerem mais fotos por vôo, e com menor custo em comparação com máquinas de filme. As que possuem intervalômetro resolvem o problema do disparo da câmera, mas é possível adaptar intervalômetros externos ou controle remoto via rádio à máquina, dependendo da habilidade do FAPer (ou de quanto ele pode investir na brincadeira).

O "berço" (ou rig) é a peça que prende a câmera à pipa, e costuma ser a parte mais difícil de ser resolvida. Exceto Falésias de areia: Vista aérea de Morro Branco, em Beberibe, CE.Falésias de areia: Vista aérea de Morro Branco, em Beberibe, CE.raras exceções no exterior, não existem modelos disponíveis comercialmente. Na Internet encontram-se alguns projetos do tipo "faça você mesmo", mas como cada berço é específico para uma câmera, sempre é preciso alguma alteração ou ajuste para a sua. Além disso, cada berço tem diferentes recursos e limitações, portanto é bom olhar com calma antes de investir tempo e dinheiro na construção do equipamento, tendo em mente seus objetivos atuais e futuros.

Vento e espírito de aventura também são fundamentais. Mas cuidado com os excessos! Com pouco vento, sua pipa pode não sair do chão ou - ainda pior - cair junto com o equipamento, se o vento reduzir muito quando a pipa estiver voando. Ela também pode ficar instável ou cair com ventos fortes demais. Pipas muito grandes são perigosas, principalmente na mão de inciantes, pois ventos fortes arrastam facilmente crianças e até mesmo adultos.

O "espírito de aventura" em excesso também deve ser evitado. Segurança deve ser o lema básico de todo FAPer. O "estrago" causado por uma câmera caindo a mais de 100m ou 200m de altura sobre propriedade de terceiros ou de si mesmo pode ser muito caro, mas nada comparado a danos pessoais (que podem ser mesmo fatais). Diferente das pipas comuns de criança, as de FAP podem causar graves acidentes se caírem em estradas, sem falar nos riscos oferecidos por postes de alta tensão. Praticamente todos os riscos podem ser reduzidos se o FAPer for responsável e não se deixar levar pela emoção. O iniciante deve:Rio Preguiças: Vista aérea de Lençóis Maranhenses, MA.Rio Preguiças: Vista aérea de Lençóis Maranhenses, MA.

  • praticar muito com a pipa antes de usar a câmera;
  • verificar o estado de todo o equipamento antes do vôo;
  • jamais praticar FAP sobre pessoas ou locais onde a pipa e o equipamento causem problemas se caírem;
  • sempre usar luvas para manusear a linha
  • evitar situações de risco, como voar a pipa próxima a árvores, postes, estradas, precipícios, etc.;
  • observar as condições do vento e do tempo (relâmpagos não precisam de chuva para existir, apenas nuvens!);
  • saber a hora de guardar o equipamento e ir para casa.

Após ter o equipamento e algum tempo de prática, o FAPer iniciante vai planejar sua sessão de fotos aéreas. Isso começa com a escolha do local e/ou do assunto (que costuma ser o mesmo que lhe interessa quando fotografado do chão). É comum ter um plano das fotos que se deseja fazer, tanto do local quanto dos ângulos desejados (se o seu berço permitir mudar a orientação da câmera antes ou durante o vôo). Nem sempre se obtém o resultado planejado, mas com sorte, sempre se consegue uma boa foto com um assunto e composições absolutamente inesperados (algumas vezes bem abstratos).Verde no deserto: Vista aérea de Lençóis Maranhenses, MA.Verde no deserto: Vista aérea de Lençóis Maranhenses, MA.

Mas as fotos não são o único benefício da FAP. Ela ainda oferece um bom exercício para os braços (é comum a pipa "puxar" 5kg ou mais), e é garantia de achar sorrisos em crianças e adultos que elevam o olhar aos céus para ver seu brinquedo.

Para mim, todos os aspectos da FAP são fascinantes. E agora, após voar com minha câmera, minha visão mudou. Quando não estou fazendo FAP e sinto a brisa soprar, dirijo o olhar às alturas, com certa saudade - e desejo de provar novamente do sonho de Ícaro.

Idiomas/Languages

Última atualização

13/12/2009